16/02/16

Interior...




Se algum dia tiveres coragem de me ler, vais saber mais acerca de ti do que conheceste até agora.

Quem fecha os olhos não vê,

Quem se esconde não deixa de existir.

Sabias disso?

Claro que sim, mas dá-te demasiado medo permitires-te mudar e ser feliz.

Acomodas-te à faceta errada e impedes a verdadeira- aquela que és tu- de te definir...



23/11/15

Odeio mudanças

Tento sempre evitá-las, sejam mudanças de casa, de hábitos, de trabalho, de colegas, enfim de tudo.

Amanhã encerro mais um capítulo de vida e tenho o coração apertado com saudades, com a sensação de perda. E porque isso implica mudanças!



23/07/15

Meias...


Meias verdades.
Meias vontades.
Meias saudades.

Viver pela metade é ilusão.
Tire as suas meias.
Ponha o pé no chão.



23/02/12

Amo-te desmesuradamente...



Sempre que que estou perdida estás ao meu lado...
Sempre que tenho medo seguras na minha mão...
Sempre que tenho frio abraças-me...
Sempre que choro enxugas as minhas lágrimas...
Sempre que tenho um problema tens uma solução...
Sempre que estou triste fazes-me rir...
Sem ti nunca seria a mesma...
Sem ti nunca saberia o que é o amor...
Sem ti perderia o meu rumo...
Sem ti não saberia viver...
Simplesmente amo-te.

05/07/11

Perdida...


Perdida, é como me sinto neste momento.
Sinto-me como se todo o mundo tivesse desabado sob a minha cabeça e não tenho as forças suficientes para me erguer dos escombros.
Nunca tive medo do escuro, mas neste momento tenho medo da morte, e a morte tornou-se escura.
Neste momento já não consigo sentir as lágrimas que me escorrem pelo rosto; a minha visão é toda ela nula; já não ouço nada a não ser o batimento do coração.
Quero gritar e gritar, até perder a voz.
Quero libertar a raiva e fúria que se encontram dentro de mim.
Mas o nó que sinto na garganta sufoca-me e não mo deixa fazer, então sinto-me presa.
Penso que pela primeira vez estou realmente a saber o que significa “sentir saudade”.
O aperto que sinto no peito neste momento está a sugar-me todas as forças que ainda me restavam.

Neste momento até as palavras faltam para conseguir escrever…

26/06/11

Ainda acredito em nós...


Parecias uma agulha num palheiro, mas isso nunca me fez desistir de ti.
Finalmente reencontrei-te.
Ao longo deste tempo sempre pensei que ainda sofresses por mim.
Enganei-me...
Simplesmente apagaste-me da tua história e recriaste uma nova historia,
com capítulos muito mais marcantes que os nossos.
Será que finalmente poderei virar a pagina do livro e viver a minha vida sem pensar o que estarás a fazer e se ainda pensas em mim.
Senti um misto de coisas, dor e conforto em ver que a tua vida não é melhor que a minha.
Ao contrário de ti não posso simplesmente passar uma borracha na nossa historia...
Nunca sabemos o que a vida nos reserva por isso prefiro acreditar que no futuro ainda existe uma réstia de esperança de sermos novamente um só...

28/05/11


O meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência, a minha alma tem pressa...
Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando os seus lugares, talentos e sorte.

18/04/11

Meditando...


Perguntaram ao Dalai Lama...

"O que mais te surpreende na Humanidade?"

E ele respondeu:

"Os homens...
Porque perdem a saúde para juntar dinheiro,
depois perdem dinheiro para recuperar a saúde.
E por pensarem ansiosamente no futuro,
esquecem do presente de tal forma
que acabam por não viver nem o presente nem o futuro.
E vivem como se nunca fossem morrer...
E morrem como se nunca tivessem vivido".
(Dalai Lama)

14/03/11

Nunca...


Nunca tive medo do escuro.
Nunca tive medo de nada que não fosse real.
Enquanto criança nunca tive medo das sombras que via reflectidas no tecto do meu quarto.
Nunca tive medo de barulhos.
Nunca precisei da luz acessa ou da porta aberta.
Nem nunca receei os meus pesadelos.
Nunca tive medo da chuva ou trovoada.
Sempre tive noção da realidade e nunca acreditei na ficção.
Sempre considerei que deveria ter medo de coisas palpáveis e não do imaginário.
Escuro e insegurança, não cabem nos medos convencionais de monstros e fantasias, temo sim a escuridão, mas aquela que a mente pode trazer.

20/02/11

Neste momento...


O SILÊNCIO é de ouro, porque esse consegue dizer mais de mim do que qualquer
palavra que possa aqui escrever...

07/12/10

Dilacerada...


Senti uma dor insuportável...
Como se um pouco de mim e do meu sonho tivesse morrido.
Fiz um sorriso forçado, tranquei o maxilar e mantive a postura.
Mas assim que tomei consciência, não consegui esconder a dor que me assolou.
Chorei, chorei, chorei...
Senti que me arrancaram algo que jamais poderá ser substituído.
Sinto-me dilacerada, completamente esgotada fisicamente e psicologicamente.
Só quero esquecer, apesar de sentir que não consigo.
Quero que me deixem a um canto sossegada, não quero ouvir mais ninguém...

03/10/10

Ainda não estava preparada para te deixar ir...


Quando nasci já tinhas 43 anos e uma casa cheia de crianças.

Contaste-me muitas vezes que naquela altura não era próprio estar grávida com a tua idade, chegaste mesmo a deixar de falar com algumas pessoas por te dizerem que não deverias avançar com a gravidez.

No entanto a tua força de vontade, determinação e amor prevaleceram sobre tudo e todos. Sei que apesar de ter sido um acidente de percurso, acabei por ser muito desejada por ti e pelo pai.

Ainda hoje os meus irmãos me dizem que eu sou a preferida e a protegida, talvez por ser a mais nova. Não sei se será verdade, no entanto sinto-me sempre muito amada.

Quando nasci o pai comprou-me o berço mais bonito, branco e cor-de-rosa, que provocou muitos ciúmes lá por casa.

Apesar de ter nascido fora dos vossos planos, nunca te vi como minha avó mas como uma grande mãe e amiga. Acompanhaste-me e estiveste sempre presente nos momentos bons, nos maus e sobretudo nas minhas loucuras.

Recordo-me que era incapaz de ir para a cama se não te contasse todos os meus segredos. Cheguei muitas vezes a chamar-te durante a noite só para te contar algo que ainda não tinha partilhado, só assim era capaz de dormir descansada.

Foi por todos estes motivos, que quando te vi deitada numa cama de hospital que soube que não estava preparada para te deixar partir. Desde pequena, que quando ia para a cama chorava porque tinha medo que morresses. Por isso, durante muitos anos adoptei uma estratégia, convenci-me que serias imortal e que estaríamos juntas sempre.

Não achei justo pensares em abandonar-me, porque não tive a mesma oportunidade que os meus irmãos para conviver contigo. Por isso rezei muito ou melhor rezámos muito contigo, chegamos a passar horas todos de mãos dadas contigo a pedir para ficares connosco.

Hoje disseste-me que a morte chamou muitas vezes por ti mas que te recusaste a ir, porque ainda tinhas muito para alcançar.

Quero que saibas que te amo muito e que apesar de muitas vezes nos incompatibilizarmos, o meu amor será sempre incondicional e único.

Nunca desistas de nós, porque nunca desistiremos de ti...

25/08/10

Não era eu...


Acordei sem saber o que vestir...
Feia, desconfortável, um patinho feio.
O espelho mostrava a minha alma triste e escura, melancolia sem fim,
Horrível imagem a que eu via reflectida,
Aquela não era EU.
Hoje nada me assentava bem.
Hoje a roupa era feia, triste e velha,
Como a alma de alguém que sofre e chora baixinho.

Despi e vesti, vesti e despi.
Tornei a vestir e a despir.
Vesti calças, vestidos e saias, camisolas e camisas…
Tudo horrível a roupa e eu.
Um desespero.
Parece que a roupa não foi comprada por mim,
Aquela não era a minha roupa ou será que aquela não era eu?

O tempo passava sem se importar com fúteis angústias.
Estiquei o braço e sem olhar para dentro do guarda-fato
agarrei um par de calças e uma camisola,
Vesti-me numa velocidade alucinante para não dar
tempo a arrependimentos.
Fintei-me a mim mesma, despistei a minha atenção que
não teve oportunidade de pôr defeitos e saí!

Afinal o problema não era a roupa, mas simplesmente eu...

Insatisfeita...

Como uma verdadeira insatisfeita que sou, começo a sentir-me novamente impaciente.
Sento-me, levanto-me, olho freneticamente para o relógio, o tempo parece não passar naquele corredor imenso de comodismo que se torna cada vez mais medonho em cada minuto de espera.
Sinto a inquietude de uma criança.
Nada me satisfaz, preciso de mais e mais...
Preciso de novos desafios, estou cansada de fazer o que faço, de ser quem sou, de ir por onde vou.
Nasci com uma alma impaciente, necessito de adrenalina constante no meu pensamento.
Tenho ânsia de viver, estou desesperada por uma mudança.

24/08/10

Recomeçar...


Adoro a palavra Recomeço.
Gosto da ideia de nos serem dadas segundas, terceiras, infinitas oportunidades.
Porque efectivamente acredito que as temos.
E merecemos!

19/05/10

Reencarnação, sim ou não?


Sim, eu acredito na reencarnação.
Não tinha lógica se andássemos aqui só por andar. Nascíamos, crescíamos, envelhecíamos e, depois, morríamos. E pronto, ficávamos por aqui.
Não soa um bocadinho estranho?
A mim, sinceramente, soa. Se nós andamos aqui, algum objectivo temos que ter, seja ele qual for.
E se, por alguma razão, não o conseguimos cumprir nesta vida, devemos tentar cumpri-la na próxima, até atingirmos a perfeição e passarmos para outra esfera.
Afinal, a verdade é que todos nós já tivemos os nossos déjà vus...

13/05/10


"Mulheres bem comportadas, raramente fazem historia"...

12/05/10

Provavelmente terás perguntas!


Quererás respostas…

Por agora dir-te-ei apenas,

Prometo!

Prometo não sair bruscamente.
Prometo ir arrumando os vestígios de mim.

Prometo não bater com a porta.
Prometo fechá-la cuidadosamente, sem ruído
Sem estremecer de paredes ou estilhaçar de vidros.

Promete-me!

Promete-me que me deixas ir
Sem perguntas nem porquês
Que permanecerás atrás desta porta
Ouvindo os meus passos a desvanecer
Até nenhum som de mim restar

No caminho que sigo
Levo-te comigo em todos os meus sentires
Guardo em mim, todos os momentos de nós

Nas mãos,
O frio do aço
Da chave que deixo sob o tapete…
No peito
O quente desejo de nos guardar para sempre…

04/05/10

Mulher vs homem... Palavras para quê!!!!!!!

27/04/10

Regresso...

Não quero sentir-me inútil, fora de ti, não quero que pareça que já não me preocupo contigo.
Espero apenas que compreendas que a falta de tempo é muita, mas que, para ti, há sempre lugar na complicada correria do meu dia-a-dia.

Sim, é isso… tenho saudades!

Por isso voltei...

04/11/09

03/11/09

Eu tenho um segredo...


“As mentiras mais cruéis são geralmente pronunciadas no silêncio".



Eu tenho um segredo...

Um não, muitos.

Porque decidimos guardar para nós certos momentos?

Não são só os momentos mais embaraçosos, os que piores recordações nos trazem, os que mais nos envergonham...

Às vezes os segredos são momentos que não queremos partilhar com ninguém porque a magia perder-se-ia nos porquês dos outros.

Há coisas que não se explicam, não se compreendem.

Vivem-se.

Eu vou vivendo e vou coleccionando os meus.

09/09/09

Presa no meu próprio labirinto...


Presa no meu próprio labirinto...

Um labirinto que eu mesma criei, mas que desconheço por completo!

Percorri-o tantas e tantas vezes e mesmo assim não encontrei o fim.

Perco-me...sozinha, desamparada...até que te vejo!

Percebo então que todos nós percorremos um labirinto e que vamos tendo pontos de contacto...

Percebo também que preciso de ti para conseguir alcançar as pequenas conquistas que vou propondo a mim própria, mesmo sabendo que tudo o que me rodeia é desconhecido!

Porém...

Paralelamente percebo que não pretendo descobrir a porta de saída, não para já!

19/07/09

15/06/09

Cansada de mim...


Existem momentos em que gostaria de despir o meu corpo.

Pendurar a minha pele num cabide.

E descansar de mim...

03/06/09

Retalhos...


Eram apenas retalhos…
Pequenos pedaços abandonados
Que foram vida mas deixados…
Retalhos…chocalhos de tristeza…
Não voltariam à vida de certeza.

Então segurei com o peito
Todos os retalhos coleccionados
E tristemente descosi a linha
Que os mantinha amarrados…
Andei na direcção da praia
E larguei-os como os agarrei
Com a mesma esperança
Que um dia de mim lhes dei…

Espero que sejam apanhados por alguém
Que os queira e consiga coser...
Dando-lhes a vida que eu não tinha
Para conseguir fazê-los...renascer.

16/05/09

Regresso da ausência...


Tem que haver um bater de porta com estrondo. Dá-se por isso.
Um interregno é uma paragem.
E uma paragem tem que ser assinalada no seu regresso.
Sei que me dás razão.
Voltar com a força das marés é isso mesmo.
E nunca poderia deixar em branco o meu regresso...

17/04/09

Lembro-me...


Numa caixa de dias perdidos

Encontrei uma noite sozinha

Sem sonhos, só memórias

Embalava desejos já tidos

Numa almofada de histórias

Sob um céu de nuvens estreladas

Ouço, perto, um suspiro
De alguém que conheci

Num tempo de contos de fadas

Lembro-me...

Quando era possível

Escolher o nosso papel

Inventar o caminho

Lembro-me...

Quando tu eras o destino

Num baú de desenhos reais

Descubro imagens esquecidas

Procuro a chave dos ideais

Encaixada no portal do tempo

Embala duas sensações

Guia-as para lá do momento

Por cima de um livro fechado

As palavras que me juraste

Uma fotografia sem caras, sem cores

Ficou-me o nada do tudo que levaste

Lembro-me...

Quando era possível

Escolher o nosso papel

Inventar o caminho

Lembro-me...

Quando tu eras o destino

Se me deste a mão

Perdi-a, deixei-a fugir

Caímos num buraco escuro

Abriu-se o chão

Tive de ver-te partir

Pedaços de papel rasgado

Gritam a notícia

Insultam com pormenores

Angústia que sinto por não

Voltar a ter-te abraçado

Numa noite de gotas e vidro

Faltou um adeus, o último olhar...

07/04/09

Com ou sem alma?


Antes de me deitar
Rasgo o silêncio.

Rasgo a pele ao meio
Tenho a sede do sal
Tenho na pele o sabor
E na alma, a dor.


Hoje
Antes de me deitar
Atiro a minha alma ao mar.

E só nesse momento decido...
Se regresso de alma vazia
Ou se a salvo no último momento de vida.

06/04/09

Crueldade versus Ganância...



Todos os anos são mortas mais de 30 mil focas na costa russa do Mar Branco e cerca de 275 mil no Canadá.

A matança ocorre sempre na Primavera, porque é nessa altura que as focas grávidas abandonam as águas geladas do mar para dar à luz em plena praia.

Cobardes armados de paus com um espigão na ponta, os caçadores procedem então a uma trágica e dramática coreografia de espancamento das crias, que acabam por morrer numa lenta e dolorosa agonia.


O crime continua a tal ponto que começa a recear-se a extinção da espécie.

Utilizam-se as peles e também o óleo da foca, a partir do qual são produzidas cápsulas para combater a artrite.

Os asiáticos compram também os órgãos sexuais dos animais, que segundo muitos acreditam, terem poderes afrodisíacos.

Lamentável, que em pleno século XXI ainda se assista a este tipo de comportamentos contra seres indefesos que se tornaram alvo de tanta cobiça e ambição por parte do homem.

Sem dúvida alguma posso afirmar, que o homem se tornou o ser mais selvagem, perigoso e predador de todo o Planeta.

31/03/09

Adversidades...


"Até mesmo uma árvore deve aprender a curvar-se no momento exacto, se não aprende, quebra na primeira tempestade".

Traição...


A mulher quando trai está consciente, ela sabe que algo mais que o físico a atrai na pessoa escolhida, o sentimento move-a a trair.

O homem é um primata, o homem segue o instinto, não precisa de saber o nome, a idade, ou ocupação profissional da vítima, move-se pelas hormonas.

29/03/09

Gosto de escrever...


Gosto de escrever.
Escrevo-o principalmente para ti.
Minto...
Escrevo só e unicamente para mim.
Mas gosto que o leias, que saibas o que escrevo, que sintas o que sinto.
Uma partilha discreta, um diálogo em silêncio, um compromisso nunca tomado mas sempre certo.

25/03/09

Toma a minha vida...


Toma a minha vida
Serve-te dela
Respira pelos meus pulmões
Toma a minha voz
E diz através dela as coisas indiziveis pela tua
Corrompe a minha alma com os tormentos que mutilam a tua
Queima a minha carne como se a tua castigasses pelos pecados que te negas
Prostitui o meu corpo com os amores de rua que amas com desprezo
Envenena-me as ideias com os medicamentos viciantes que te deturpam a visão
Anda com os meus pés nessa rua mal iluminada de piso encharcado
Chora com as minhas lágrimas as dores que não sabes sentir
Abraça os estranhos com os meus braços
Conta as minhas histórias para esconderes as tuas
Abre a janela do meu quarto em vez da tua de vidro partido
Deita-te na minha cama
Não na tua
Essa fede ao horror do teu suor
Olha-te no meu espelho
Ele reflecte os meus olhos, não a tua verdade
Deita-te no meu regaço
Aninha-te no meu colo
Conta-me os teus segredos
Tesouro trancado em cofre sem chave
Esconde-te aqui
Na palma da minha mão
Não abro os dedos
Por mais que se me sangrem as unhas...

19/03/09

Se um dia...


E se um dia as palavras não mais se escrevessem
Se um dia ficassem em branco?
Tal palete sem tinta
Pintor sem imagem
Quadro sem tela
Autor sem nome

E se um dia o tempo ficasse sem tempo
Relógio paralisado
De ponteiros partidos sem hora para apontar
Ampulheta sem areia
Caneta sem tinta
Voz insonora
Música sem melodia
Poesia sem rima

E se o dia não mais dias tivesse para ser Dia
Se a manhã não mais tivesse alvorada?
Gargalhada sem riso
Choro sem lágrimas
Inexistência desprovida da Ausência
Amante sem beijo
Loucura em demência
Labirinto aberto
Anarquia organizada

Pensamentos desenfreados
Senhores e escravos ao mesmo tempo!

17/03/09

Tempo versus Vida...


O tempo não pára...e isso todos nós sabemos.

Mas nós paramos.

Será que já não está na hora de pararmos para pensar como aproveitamos esse pouco tempo, esquecido por muitos, chamado Vida?

Aproveita mais as horas, os minutos, os segundos.

A vida é uma experiência única, e passa muito depressa.

Não sejas escravo do tempo...

Aproveita-o!

13/03/09

Palavras...



Trocadas em cada olhar perante o ruído dos outros

Partilhadas no silêncio dos desabafos

Sentidas com o coração no fogo da paixão

Que queremos ouvir mas jamais serão proferidas

Que pronunciamos com um nó na garganta sem nada sair

Traduzidas em nome, de quem, não fala a mesma língua

Presas ás amarras de uma vida da qual nunca serão libertas

Compõem a letra daquela canção que, em tempo algum, será ouvida

Proibidas...

Mágicas...

11/03/09

Uma simples carta...



Escreve para mim...
Uma carta. Ausente de conteúdo.
Escreve o meu nome... sela-a com o teu no fim.
Deixa que preencha esse intervalo com o que sonho ser para ti...

Falar do quê?


Se não há nada para se falar.

Tudo o que devia ser dito, já foi dito.

E com as piores palavras.

Sou assim, impulsiva, momentânea, arrogante, sensível e até insensível.

Posso ser todos e nenhum.

Posso ser dia de sol ou dia de chuva.

Posso ser brisa da noite ou furacão no oceano.

Eu posso eu sou.

10/03/09

De que valeu...


De que valeu o suspiro de saudade?

De que valeu a melancolia pelos desencontros?

De que valeu a esperança por um novo encontro?

De que valeu as luzes de vela?

De que valeu aquele sorriso seguido de uma dança?

De que valeu o desejo dos nossos corpos?

De que valeu querer tanto que os nossos destinos se encontrassem?

De que valeu o vento nos nossos rostos?

De que valeu o beijo com gosto de quero outro?

De que valeu dizer "esperei muito tempo por este momento"?

De que valeu o abraço quando as saudades eram maiores que nós os dois juntos?

Diz, de que valeu a espera sem saber que um dia teríamos este desencontro?

Eu sei responder... e tu sabes?

Podes sempre fazê-lo...

09/03/09

Cartas...


Todos nós temos cartas que nunca escrevemos, cartas que nunca enviámos, cartas que nunca deitámos fora...

Cartas de Amor! Cartas, onde a escrita desvanecia um pouco a distância, em que a paixão falava mais alto e, as palavras, se soltavam ao correr da pena, ao sabor do vento.

Versos que se escreviam, emoções sentidas, lágrimas vertidas.

As cartas são marcas que deixamos para toda a vida, são testemunhos que passam de gerações em gerações.

São cicatrizes que ficam para sempre gravadas na pele.

Através das cartas tornamo-nos desejo incorpóreo, tornamo-nos apenas cérebros, dedos, imaginação e poder de manipular quem se seduz pelas palavras.

Voltamos a séculos passados, em que prevalecia o poder da escrita, o poder da sedução através de uma folha de papel e um borrão de tinta.

As palavras podem ser falaciosas. Somos frequentemente julgados por palavras que dizemos e por outras que não chegamos a dizer...

Tenho a certeza que muitas das cartas que recebi não disseram tudo o que queriam dizer e não sentiram tudo o que sentiam...

Muitas delas demonstraram receio de dizer a verdade e de serem incompreendidas.

A verdade é que tudo o que escrevemos jamais poderá ser apagado, aconteça o que acontecer...

Passado e Presente...



"Lamentar uma dor passada, no presente, é criar outra dor e sofrer novamente."

William Shakespeare

08/03/09

Nunca dizemos tudo...




Nunca dizemos tudo aquilo que gostaríamos de ter dito...

Muitas vezes uma rosa pode, no seu silêncio,

transmitir aquilo que deixamos de dizer.

A rosa tem significados tradicionais,

mas nenhum deles é tão perfeito quanto a

interpretação do coração de quem recebe uma rosa!

03/03/09

Intensidade...



A vida começa no dia seguinte,e só existe uma maneira de viver: apaixonada.
Por isso dança, dança como se ninguém te estivesse a ver.
Trabalha, como se não precisasses de dinheiro.
Corre, como se não houvesse a chegada.
Ama, como se nunca tivesses sido magoada antes.
Acredita, como se não houvesse frustração.
Grita, como se ninguém estivesse a ouvir.
Beija, como se fosse eterno.
Sorri, como se não existissem lágrimas.
Abraça, como se fossem todos amigos.
Dorme, como se não houvesse amanha.
Cria, como se não existisse critica.
Vai, como se não precisasses voltar.
Acorda como se nunca mais fosses dormir de novo.
Faz a próxima viagem como se fosse a última.
Veste-te como se não conhecesses espelhos.
Propõe, como se não existissem as recusas.
Brinca, como se não tivesses crescido.
Levanta-te como se não tivesses caído.
Casa-te como se não houvesse outra vida.
Mergulha, como se não houvesse medo.
Ouve, como se não existisse o certo e o errado.
Fala, como se não existisse o certo e o errado.
Aprecia, como se fosse eterno.
Vive, como se não houvesse fim.
Prefere ser, ao invés de teres.
Sente, ao invés de fingires.
Anda, ao invés de parares.
Abre, ao invés de fechares.

02/03/09

Promessas...




A felicidade está perto...

Prometeram-me o sucesso.

Prometeram-me o mundo.

Já comprei o vestido de gala.

Já escolhi o penteado.

Já ensaiei o meu discurso.

Já preparei os agradecimentos.

Já treinei o desfile ao longo da carpete vermelha.

Estou mais que preparada para aceitar o Óscar.

Estou impaciente para que o momento chegue...

27/02/09

Arame farpado dentro de mim...



Azar...
O arame farpado sempre esteve debaixo da minha pele.
Esteve sempre no mesmo lugar...
Há os que nunca descobrem e vão-se embora.
Mas há os que, na falta de sorte, se cortam cedo.
Cortam o dedo na primeira carícia.

26/02/09

Tatuei-te em mim...



Quando te conheci decidi tatuar em mim o sinal da mudança.

Tatuei uma lua e estrela no pescoço, na esperança de inventar a eternidade na minha pele.

A Lua e Estrela são envoltos em significados. Juntos, mostram a interacção dos astros como um sistema único que forma o universo como um todo, do qual nós fazemos parte.

Tatuei a passagem do tempo e o acerto dos nossos corpos.

Tatuei no meu corpo o que provocaste em mim e a partir daí os meus passos fundiram-se nos teus.

23/02/09

No Segredo das grandes procuras, é que nascem os grandes encontros...

Ás vezes, não pronunciamos no momento

oportuno as palavras que

gostaríamos de dizer,

com medo de parecermos ridículos

e imaturos...

Quantas vezes ficamos,

porque tivemos medo de partir.

Quantas vezes partimos,

porque tivemos medo de ficar.

Quantas vezes dizemos baixinho

o que na realidade

gostaríamos de gritar...

Mas na verdade, é com o Silêncio

e com os actos, que se diz tudo...

Solidão...



Quando nos perdemos de nós mesmos e procuramos em vão pela nossa alma é porque estamos na solidão...

22/02/09



Só posso afirmar que ás vezes sou amada mais do que posso corresponder...